A Credicoopavel ainda mais forte e moderna

Por Jean Paterno

Cerca de 300 cooperados participaram no fim de março das assembleias gerais extraordinária e ordinária da Credicoopavel. A primeira colocou em apreciação pontos para a modernização e atualização do estatuto da cooperativa de crédito e a segunda fez a prestação de contas e dos resultados alcançados por ela no exercício de 2018. Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente do Conselho de Administração, Dilvo Grolli.

A reforma do estatuto fez a supressão de alguns incisos, parágrafos e artigos e mudou a redação de outros, deixando o documento que rege a cooperativa mais afinado com as mudanças ocorridas no mercado e na própria Credicoopavel nos últimos anos. Uma das alterações ampliou a área de atuação da cooperativa para mais municípios da região de abrangência da Coopavel, cooperativa que em dezembro comemora os seus 49 anos de fundação. Todas as sugestões apresentadas foram aprovadas por unanimidade pelos cooperados presentes.

A Assembleia Geral Ordinária, por sua vez, apresentou informações sobre a performance da cooperativa no exercício de 2018. Dilvo informou que uma das novidades que dão ainda mais dinâmica aos trabalhos foi a implantação da diretoria executiva, formada por técnicos dos quadros da Credicoopavel. Um dos compromissos aprovados é quanto a ações para avanços em crescimento e resultados a médio e a longo prazos. “E tudo isso com muito esforço, profissionalismo e com base nas melhores práticas do mercado”.

Sinergia

Para que o crescimento ocorra da maneira esperada, os cooperados aprovaram medidas para sinergia ainda maior entre a Coopavel e a cooperativa de crédito. A AGO aprovou a liberação de recursos para novos investimentos em tecnologia, assegurando mais qualidade, mais agilidade nos serviços e mais segurança aos cooperados.

Dilvo lembrou aos cooperados que, ao contrário de bancos privados, públicos e de algumas outras cooperativas, que a Credicoopavel não cobra taxa de manutenção da conta-corrente. Há casos na rede privada, por exemplo, que a manutenção chega a representar desembolso mensal de R$ 76. “A economia gerada aos associados, já que não praticamos essa cobrança, foi de R$ 3,5 milhões no ano passado”. O presidente do Conselho de Administração ressaltou que um dos desafios é colocar as cooperativas brasileiras no patamar de importância do que ocorre na Europa.

Em países europeus, os bancos regionais representam 40% do mercado, as cooperativas 30% e os bancos comerciais 30%. No Brasil, 80% do mercado financeiro está nas mãos de apenas cinco bancos, enquanto que as cooperativas de crédito detêm apenas 6%. “O sistema cooperativista avança e em alguns anos ele vai estar onde merece, gerando impulso decisivo para o País crescer, com a liberação de recursos para investimentos a taxas compatíveis e contribuindo para regular o mercado”, conforme Dilvo.

Resultados

O lucro da Credicoopavel em 2018 foi de R$ 9,53 milhões11% maior que os R$ 8,6 milhões do exercício anterior. Do total das sobras, a assembleia aprovou a destinação de R$ 4,7 milhões para o fundo de reserva, R$ 398 mil para Fates (Fundo de Assistência Técnica e Educacional) e R$ 4,3 milhões aos cooperados – R$ 2,78 milhões como capitalização de sobras e R$ 1,57 milhão como remuneração de capital.

A AGO apreciou e aprovou também as metas da Credicoopavel para 2019. O patrimônio líquido era no fim do ano passado de R$ 70,6 milhões e o objetivo é alcançar R$ 82 milhões quando o atual exercício terminar, em 31 de dezembro. A intenção é conquistar um bom número de novos associados ao longo deste ano e o resultado operacional deverá chegar a R$ 12,5 milhões.

Legenda: AGE e da AGO da Credicoopavel foram realizadas no mesmo dia

Conselho Fiscal

A AGO da Credicoopavel aprovou os nomes que compõem o Conselho Fiscal para o período 2019/2020. São eles:

Paulo Roberto Orso

Leonir Antonio Felini

Gilberto Luís de Moura

Jair Wenggen

Enio Pereira da Silva

Joilson Antonio Effgen

 

Banco do Brasil Governo Federal