Coopavel avança para se adaptar às normas da Lei de Proteção de Dados

Jean Paterno

Com as novas tecnologias, sua velocidade e alcance, diversos debates envolvem interesses estratégicos do indivíduo e das corporações neste início de milênio. Um deles é o direito à privacidade e à proteção de dados. O Brasil é um dos países que debateram e aprovaram um instrumento legal que dá lastro à Lei Geral de Proteção de Dados, aprovada em 2018 e que entrou efetivamente em vigor em setembro do ano passado. A Coopavel está atenta ao assunto e às mudanças que ela traz, informa o presidente Dilvo Grolli.

O assunto é debatido na Coopavel já há algum tempo e recentemente a cooperativa realizou um amplo treinamento envolvendo 505 profissionais de todas as áreas, abrangendo cidades do Oeste e Sudoeste do Paraná nos quais a empresa atua. “O objetivo desse ciclo foi dar detalhes do que é a LGPD, de como ela deve ser observada e praticada e de qual deve ser, a partir de agora, a postura da Coopavel e de seus colaboradores diante desse novo instrumento legal”, conforme Dilvo Grolli, que participou de etapas importantes da capacitação.

O ciclo de estudos foi dividido em palestras abordando aspectos gerais e específicos da Lei de Proteção de Dados. Os oito encontros, realizados em junho e julho, foram coordenados pelo advogado José Fernando Marucci, do Escritório de Advocacia Vanzo. Os principais pontos trabalhados foram tratamento de dados pessoais em meios físicos e digitais, proteção de direitos fundamentais de liberdade e privacidade, livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural e também tratamento de dados, consequências e punições previstas em caso de descumprimento de pontos considerados na lei.

Comitê

Devido a importância do tema, a Coopavel criou ainda no fim de 2020 um comitê para tratar dele. Nesse ambiente foram sugeridas, debatidas e elaboradas as normas e procedimentos que passam a definir a postura da cooperativa diante de questões relacionadas ao teor da LGPD. O comitê é formado por profissionais de diversas áreas, como Tecnologia da Informação, Recursos Humanos, Auditoria, Processos, Contabilidade, Área de Negócios, Departamento Jurídico e Consultoria Jurídica.

Outro passo importante dado pela Coopavel no cumprimento das regras estabelecidas pela Lei Geral de Proteção de Dados foi nomear o DPO (Data Protection Officer/Oficial de Proteção de Dados). O profissional escolhido é o gerente de TI, Rogério Aver. A cooperativa também criou um canal próprio para tratar do assunto. Caso as dúvidas persistam, então o funcionário e terceiros podem entrar em contato pelo e-mail para o endereço privacidade@coopavel.com.br .

Devido às restrições provocadas pela pandemia, encontros aconteceram em ambiente virtual

Crédito: Assessoria