Coopavel e Cobb são parceiras em ciclo online destinado a avicultores

Jean Paterno

Em uma era de mudanças constantes é fundamental se manter atento a novidades e aprimorar conhecimentos. De olho nisso, Coopavel e Cobb se unem para oferecer um ciclo de palestras online a produtores rurais e a técnicos envolvidos com a avicultura. O evento inaugural da parceria acaba de ocorrer em encontro com a participação virtual de centenas de pessoas.

A abertura oficial foi feita pelo presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, que falou sobre o atual momento de custos e expectativas à cadeia do frango. “Acredito que a fase mais difícil já passou e que a partir de junho o segmento inicia sua recuperação”, disse Dilvo, citando a solidez da Coopavel. A cooperativa atua em várias áreas, sem concentrar energia demais em um setor específico. Essa estratégia melhora a performance em momentos difíceis.

Dilvo destacou a parceria entre a Coopavel e a Cobb de levar novos conhecimentos e informações a pessoas e a profissionais da linha de frente do segmento da avicultura. “O ciclo, diante dos temas contemplados, contribuirá para melhorar ainda mais o desempenho dos lotes e das granjas”. A atualização é indispensável para o êxito da avicultura, justamente por ser uma atividade das mais dinâmicas, diz o gerente de Fomento Avícola Eduardo Leffer.

Cuidados

A primeira palestra da parceria Coopavel e Coob foi sobre Quais pontos mais críticos e decisivos para enfocar no manejo de inverno. O tema foi apresentado por José Luís Januário, especialista em ventilação da Cobb para a América do Sul. Januário possui amplo conhecimento sobre o assunto e repassou informações e dicas de inúmeros cuidados que o produtor rural deve adotar para obter bons resultados com a atividade.

O técnico falou da importância do dimensionamento do alojamento (pinteira) e que esse espaço precisa estar de acordo com o número de pintinhos que será alojado por metro quadrado. Também devem ser observadas com atenção a disposição de comedouros e nípels, a distribuição de linhas de papel para o arraçoamento (que é providenciar alimento às aves ou alimentá-las com ração), bem como o correto posicionamento das cortinas transversais.

Januário citou ainda sobre a importância do aquecimento, de fazer pré-aquecimento muito bem feito e do objetivo de a cama do aviário atingir a temperatura de 32 graus. “É a cama, na verdade, que aquece o pintinho. Observar sempre a distribuição de calor dentro do alojamento é uma medida extremamente útil”, citou o especialista da Cobb, para alertar que o aquecimento não deve ocorrer apenas na primeira semana, mas se estender por pelo menos nas três primeiras semanas de vida da ave. “Até essa idade, o sistema de termorregulação da ave é imaturo. E ele só começa a amadurecer a partir do 22º dia”.

José Luís Januário afirmou que o sucesso do resultado do lote é um reflexo direto do que se faz nas primeiras semanas de vida das aves.

Quanto maiores os acertos e melhores as condições oferecidas aos pintinhos, melhor será o resultado. “Aquecimento, ventilação mínima de qualidade e observar as condições de ambiência, tudo isso compõe um cenário de sucesso na atividade”. O especialista da Cobb afirmou também que a presença humana no aviário deve ocorrer com frequência, porque a pessoa costuma perceber e fazer os ajustes recomendados no momento certo.

José Luís Januário, especialista em ventilação da Cobb, empresa mundial que é referência na área de aves de corte

Crédito: Assessoria