Dilvo e Zani falam sobre mercado de rações em live do Notícias Agrícolas

Jean Paterno

O aumento de custos das rações cria um cenário que exige cautela. O tema foi refletido, nesta semana, durante live organizada pelo Portal Notícias Agrícolas, de Campinas (SP), que desde 1997 leva informações especializadas sobre o agronegócio para produtores rurais do Brasil e exterior. Os entrevistados foram o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, e o Ceo do Sindirações (Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal), Ariovaldo Zani, com mediação da jornalista Letícia Guimarães.

No comparativo entre julho de 2020 e janeiro de 2021, o preço da soja subiu 55% e o do milho 70%. Com isso, o impacto no custo da ração foi de 60% na fábrica. Em 2020, a produção de frangos no Brasil foi de 13,9 milhões de toneladas e a de suínos de 4,25 milhões.

Com bastante oferta de produto, agricultores capitalizados e consumidores preocupados com sua realidade financeira, a indústria não consegue repassar o aumento de custos ao consumidor. Quem está arcando com a majoração de preços são as indústrias e integradoras. Um dos caminhos para enfrentar e equacionar o mercado, segundo Ariovaldo, seria a redução temporária ou a isenção de tributos nas exportações.

As exportações de carne de frango em 2020 fecharam praticamente no mesmo patamar do ano anterior. Porém, a expectativa para 2021 é de crescimento de 5%. Dilvo fez considerações importantes que indicam o percurso que os desdobramentos da elevação dos custos de ração seguirá: “Empresas brasileiras têm que participar do mercado futuro, atuar com previsibilidade. Precisamos ter visão que não há espaço para quedas acentuadas nos preços do milho e soja em 2021, justamente porque a demanda do mercado internacional por esses produtos segue alta”.

Ariovaldo entende que em algum momento o Brasil precisará debater e encontrar saídas para questões estruturais que há muito geram desafios ao setor produtivo, a exemplo do de rações. Entre elas, o Ceo do Sindirações cita deficiências no armazenamento e elevados custos rodoviários. Dilvo, por sua vez, considera é preciso refletir com cautela sobre como reduzir o preço da carne de frango, evitando consequências mais duras. A live do Portal Notícias Agrícolas contou com a audiência de técnicos e produtores rurais de várias regiões do Brasil.

Legenda: Dilvo e Ariovaldo: pessoas de diferentes regiões acompanharam as considerações sobre o mercado de rações
Crédito: Assessoria