Instituto lança cultivares de acerola no Show Rural

Por Edmilson Gonçales Liberal

O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Rural do Paraná IAPAR-Emater lançou na manhã desta quinta-feira (6), no Show Rural, as cultivares de acerola IPR Bruna, IPR Letícia, IPR Stella e IPR Stephanie. A solenidade de apresentação dos novos materiais contou com a participação do secretário de Agricultura e Abastecimento Norberto Anacleto Ortigara.

“Fruticultura é e será cada vez mais importante na economia das famílias e na economia do Paraná. O esforço que fazemos é focar em opções que possam trazer mais renda à pequena propriedade”, disse Ortigara.

Natalino Avance de Souza, diretor-presidente do Instituto, destacou o trabalho da pesquisa. “O serviço público vive de entregas e da qualidade do que entrega
aos agricultores e à sociedade”, disse.

A engenheira-agrônoma e pesquisadora Neusa Colauto Stenzel, responsável pelos estudos com a fruta no Instituto, apontou que as cultivares foram desenvolvidas com o objetivo de oferecer opções e fortalecer a cadeia produtiva no Paraná.

“O uso de cultivares adaptadas torna o produtor mais competitivo, melhora a qualidade de vida no meio rural, abre a possibilidade de acesso ao mercado de fruta fresca madura, fortalece a indústria regional processadora de polpa e, ainda, a comercialização de frutos verdes para empresas extratoras de vitamina C”, ela destacou.

Segundo Neusa Stenzel, os pomares comerciais do estado foram formados com mudas obtidas de sementes, o que resultou em alta variabilidade entre as plantas. “A exploração dessa variabilidade foi estudada para selecionar plantas com características agroindustriais superiores e adaptadas às condições de solo e clima do Paraná”, explicou.

“Queremos não só agradecer e destacar o que foi feito, um trabalho de 20 anos, mas também falar da importância de sua continuidade para os produtores de acerola”, disse o presidente da Cooperativa Agrícola dos Fruticultores de Pérola (Frutipérola), Luciano Lazarin.

CULTIVO – A acerola é produzida comercialmente em cerca de 30 municípios do Paraná. Cruzeiro do Oeste, Japurá, Marilena, Nova Tebas e Pérola são os principais produtores. A produção, cerca de 3,6 mil toneladas, é direcionada principalmente ao processamento de polpa e, em menor escala, para o mercado de vitamina C.

Neusa Stenzel explica que todas elas são bem adaptadas às regiões produtoras do estado e, ainda, adequadas ao cultivo orgânico. “O produtor só deve observar atentamente a área onde vai implantar o pomar, que não deve ser sujeita a geadas frequentes e severas”, aconselha.

Stenzel destaca ainda a reduzida suscetibilidade a pragas e doenças e a boa arquitetura das plantas, que favorece a colheita.

Em todas as cultivares, outra particularidade que facilita a operação de colheita é a baixa presença de pelos nas folhas. Essas estruturas causam coceira e irritação na pele, com diminuição no rendimento do trabalho.

CULTIVARES – IPR Bruna tem elevado potencial produtivo – cerca de 56 toneladas por hectare –, e é destinada ao mercado de fruta fresca, polpa e vitamina C. Os frutos são carnosos, suculentos, de sabor delicadamente ácido, tamanho que varia de médio a grande e têm alto rendimento de polpa.

No manejo, demanda podas de formação para o bom desenvolvimento dos ramos, para adequar a altura da copa e de limpeza periódica.

IPR Letícia é indicada para processamento da polpa e extração de vitamina C. O potencial produtivo gira ao redor de 60 toneladas por hectare. Produz frutos com tamanho de médio a grande e alto rendimento de polpa. Exige podas de formação, para adequação de altura da planta e de limpeza.

IPR Stella foi desenvolvida para o mercado de fruta fresca e de polpa. Sua produção pode chegar a 60 toneladas por hectare. Os frutos são grandes, firmes, carnosos, de acidez delicada e apresentam ótimo rendimento de polpa.

Demanda poda de formação e de limpeza, mas sem necessidade de ajustar a altura da copa.

Por fim, IPR Stephanie é dirigida à produção de polpa e extração de vitamina C, com potencial produtivo de 57 toneladas por hectare. Os frutos têm tamanho médio e alto rendimento de polpa. Também demanda podas para formação e limpeza, mas não exige ajustes na altura da copa.

MUDAS – Pequenas quantidades de estacas e de mudas das novas cultivares poderão ser obtidas a partir de setembro. Contato pelo telefone (43) 3376-2461 ou e-mail nstenzel@iapar.br.

Banco do Brasil Caixa Governo Federal