Rally da Safra: Brasil já tem 2% das áreas de soja com produtividade de 100 sacas/ha

Por Jean Paterno

O mundo de André Pessoa é formado por números, gráficos e indicadores. Tudo o que parametrizar o agronegócio está na zona de interesse do consultor de renome internacional e líder da Agroconsult, empresa especializada que há 16 anos estuda a partir de bases técnicas e científicas o desempenho das principais commodities brasileiras. O Rally da Safra foi criado para aferir a performance das safras nacionais e para apurar o reflexo das tecnologias sobre culturas que impulsionam a economia e turbinam a balança comercial.

Em Cascavel para o encerramento da edição de 2019 do Rally da Safra, André trouxe uma informação importante e que mostra o tamanho dos avanços já possíveis nas lavouras brasileiras. Para um público formado por agricultores e técnicos na Associação Atlética Coopavel, o consultor apresentou um número histórico e que demonstra o sucesso do casamento entre produção e tecnologia. “Em 2% das áreas dedicadas à soja no País, a produtividade já rompeu a marca das 100 sacas por hectare”. O dado reforça a posição do Brasil como um dos principais celeiros do mundo.

O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, mostrou gráficos da recente edição do Show Rural que confirmam o dado. Os testes de produtividade de sementes soja (evento faz também de milho) mostraram, em fevereiro, que algumas variedades já alcançam produtividades de 102 a 105 sacas por hectare, ou 248 a 255,9 sacas por alqueire, correspondendo a até 6.344,84 quilos por hectare. “São números fantásticos e essas produtividades, desde que empregadas as recomendações técnicas corretamente, já estão ao alcance dos produtores rurais”, afirmou Dilvo. “O índice de 2% com produtividade de soja acima de 100 sacas/hectare foi apurado em várias regiões do País”, segundo o que constatou a expedição Rally da Safra.

 

Compartilhamento

Dilvo mostrou números com a produtividade média de soja no Brasil, onde é de 3.193 quilos/hectare, no Paraná, com 2.989, e no Oeste do Estado com 3.7 mil quilos por hectare. “Então se já estamos atingindo mais de seis mil quilos é imprescindível levar esse conhecimento técnico com rapidez e eficiência aos agricultores. E aí entram eventos como o Show Rural Coopavel, dias de campo, entre outros, que aproximam essas marcas da realidade de quem cultiva e produz as principais commodities nacionais”, afirmou ele. “O desafio é criar núcleos de produtores que, compartilhando o melhor de cada um, cheguem com velocidade e qualidade a esses números tão expressivos”, ressaltou o presidente da Coopavel.

 

Desempenho

No mesmo gráfico, André traz outros dados que mostram a evolução da produtividade de soja nas regiões de cultivos pelo País. Cinco por cento das áreas com soja produzem entre 90 e 100 sacas, 8% entre 70 e 80 e 20% entre 60 e 70 sacas por hectare. O avanço pode ser ainda melhor compreendido, conforme o consultor, considerando outros indicadores igualmente importantes. Na safra 2015/2016, 12% das propriedades agrícolas brasileiras tinham produtividade de soja acima de 70 sacas por hectare, na de 2016/2017 o índice subiu para 24%, na seguinte chegou a 29% e na atual, alcança 30%.

Com base nessas informações, o Rally da Safra atesta que a genética é a principal responsável pelos saltos em produtividade apurados nos últimos anos, que se repetem também no milho. “Na soja, produtividades abaixo de 50 sacas por hectare somente ocorrerão quando existir forte interferência de fatores climáticos”, observou o diretor da Agroconsult, que fez uma detalhada leitura do atual cenário de performance das principais commodities pelo mundo. Nos últimos dois anos, o Rally da Safra foi realizado em parceria com a Coopavel -na região de Cascavel. Em agradecimento, André Pessoa fez a entrega de uma placa ao presidente Dilvo Grolli.

Legenda: O diretor da Agroconsult fez a entrega de uma placa ao presidente da Coopavel, Dilvo Grolli

Legenda: A etapa final do Rally da Safra de 2019 foi realizada na Associação Atlética Coopavel

Crédito: Assessoria

Uma viagem pelo Brasil que produz

O Rally da Safra chega à sua 16ª edição. Neste ano, 14 estados foram percorridos por 12 equipes que, juntas, percorreram mais de cem mil quilômetros de estradas e rodovias. Mais de 300 pessoas foram envolvidas no projeto, com quatro mil produtores rurais contatados.

O trabalho se estendeu por três meses e 1,8 mil amostras de diferentes lavouras foram analisadas, o que faz desse projeto o maior do mundo. “Nossas equipes estiveram em 500 municípios, com 120 fazendas visitadas”, diz o diretor da Agroconsult, André Pessoa.

Com esse resultado, o Rally da Safra percorreu 95% da área com produção de soja e 72% da cultivada com milho no País. O projeto tem três vertentes principais: levantamento de dados técnicos, relacionamento (visitas a agricultores) e comunicação (eventos regionais, eventos especiais e mídia).

 

Banco do Brasil Governo Federal