Russos buscam subsídios sobre agronegócio brasileiro

Por Jean Paterno

Uma comitiva russa esteve no interior do Paraná dias atrás para conhecer mais sobre o agronegócio brasileiro. Entre os compromissos esteve uma visita à Coopavel. A caravana foi formada por clientes da Alltech – diretores de empresas, produtores de frangos, suínos e rações, veterinários e nutricionistas animais.

O grupo foi recepcionado pelo presidente Dilvo Grolli e por gerentes de áreas da cooperativa, que informaram sobre processos de produção da empresa, principalmente nos setores de carnes e rações. Dilvo fez uma apresentação detalhada sobre a atualidade do agronegócio brasileiro e mundial. Ele abordou, com ênfase, sobre as oportunidades que se abrem para o País no mundo, com foco em projeções para os próximos 20 anos. A produção nacional de grãos chegará a 400 milhões de toneladas em 2040 e a 40 milhões de toneladas de carnes.

Dilvo citou a rápida evolução tecnológica das lavouras, da integração da inovação ao campo e dos cuidados ambientais que o Brasil observa. “Nossa lei é absolutamente rigorosa e somos o país que mais preserva as suas matas no mundo”, afirmou. Sete por cento do território brasileiro é dedicado ao cultivo de grãos, 20% são formados por áreas de pastagem, 13% pertencem a indígenas e que 60% estão preservados. Ele citou também mudanças importantes na condução política, o que anima e cria projeções otimistas para a economia nacional.

Tecnologia

Citando o Show Rural Coopavel, Dilvo Grolli pontuou a contribuição da tecnologia no avanço de produtividade de duas culturas fundamentais, a soja e o milho. Em 30 anos de disseminação de novos conhecimentos, o avanço dessas culturas chega aos 300%. A recepção à comitiva russa foi feita também pelo presidente da Unicoop, Antonio Augusto Putini, gerente de Fomento Avícola Eduardo Leffer, gerente de Rações Jurandir de Mattos e pela zootecnista de nutrição animal Juliâni Farias Souza Dalle Mole.

Legenda: A recepção à comitiva russa foi feita por Dilvo Grolli e por gerentes na Unicoop

Crédito: Assessoria

Banco do Brasil Governo Federal