Saiba mais sobre o Show Rural Coopavel – perguntas e respostas

Por Jean Paterno
DCIM100MEDIADJI_0054.JPG

A Assessoria de Imprensa da Coopavel elaborou uma espécie de manual para informar e tirar dúvidas sobre o Show Rural Coopavel. São 30 perguntas, acompanhadas de respostas, que trazem dados gerais sobre um dos maiores e mais conhecidos eventos de disseminação de novas tecnologias para o campo do mundo. As respostas são breves, simples e esclarecedoras para quem quer saber mais sobre a mostra, que realizará a sua 31ª edição de 4 a 8 de fevereiro de 2019. Leia o material que segue:

1 – O que é o Show Rural Coopavel?

R: É um dos maiores eventos de novidades do agronegócio do mundo, que reúne o que há de melhor em tecnologias, inovações e tendências para o campo. Ele abre espaço para a apresentação de novas cultivares, agroquímicos, máquinas e implementos, além de inovações tecnológicas que tornam a atividade rural ainda mais sustentável e rentável.

 

2 – Quando e como o evento começou?

R: A primeira edição do que viria a ser o Show Rural Coopavel, em 1989, contou com a presença de 15 expositores e foi prestigiada por 110 agricultores e pecuaristas.

 

3 – Quem organiza o Show Rural Coopavel?

R: É a Coopavel Cooperativa Agroindustrial. Ela foi oficialmente fundada em 15 de dezembro de 1970, em Cascavel – hoje ela tem 28 unidades, além de indústrias, espalhadas por cidades do Oeste e do Sudoeste do Paraná. A cooperativa conta com 5,5 mil cooperados e dá emprego e renda a mais de 5,2 mil trabalhadores.

 

4 – Quem é o atual presidente e vice da Coopavel e quem são os principais coordenadores do Show Rural Coopavel?

R: O diretor-presidente da Coopavel é Dilvo Grolli; e o vice é Jeomar Trivillin. O coordenador-geral do Show Rural Coopavel é Rogério Rizzardi e o coordenador-executivo é Acir Inácio Palaoro.

 

5 – Como surgiu a ideia de promover um evento com essas características?

R: A ideia do evento veio durante uma viagem aos Estados Unidos, para a Farm Progress (uma das maiores feiras do agronegócio do mundo). Fizeram a visita à feira o presidente Dilvo Grolli e o gerente técnico da Coopavel, Rogério Rizzardi. Eles desenharam, em um guardanapo no retorno ao Brasil, o esboço do projeto central do que viria a ser o Show Rural Coopavel.

 

6 – Em que datas o evento tradicionalmente ocorre?

R: Em fevereiro, geralmente na primeira quinzena do mês. A 31ª edição será de 4 a 8 de fevereiro de 2019.

 

7 – Quando é a abertura oficial do evento?

R: O Show Rural Coopavel tem uma particularidade especial. É o único evento do agronegócio no Brasil aberto com uma missa campal. Ela ocorre sempre no domingo imediatamente anterior à segunda-feira, quando então os portões são abertos aos visitantes. A missa ocorre às 11h. Esse é um dia festivo e no qual a comunidade de Cascavel e do Oeste do Paraná aproveita para visitar e conhecer as novidades da mostra.

 

8 – Onde o evento ocorre?

R: Em uma área de 720 mil metros quadrados às margens da BR-277, no km 577, saída para Curitiba, a dez quilômetros do centro de Cascavel.

 

9 – E qual é o horário de funcionamento ao público visitante?

R: O evento abre para visitação, diariamente, das 8h às 18h.

 

10 – É preciso pagar ingresso para visitar e conhecer a mostra?

R: Não. O acesso ao parque é gratuito, bem como o estacionamento oficial, que também pode ser utilizado sem qualquer custo.

 

11 – Qual é o público-alvo da mostra?

R: Preferencialmente, agricultores e pecuaristas. Técnicos, pesquisadores, parceiros, acadêmicos, empresários, autoridades e todas as pessoas que, de uma forma ou outra, estão ligadas à cadeia do agronegócio.

 

12 – O evento recebe caravanas?

R: Centenas de milhares de agricultores do Brasil inteiro dirigem-se a Cascavel no início de fevereiro para conhecer as novidades do Show Rural Coopavel, que é o primeiro do calendário de grandes eventos do agronegócio no País. A mostra também recebe comitivas estrangeiras, que vêm de todos os continentes. As diretorias das empresas nacionais e multinacionais que expõem também participam ativamente da programação.

 

 

13 – Quais costumam ser as principais atrações?

R: São as mais diversas, como lançamentos em colheitadeiras, tratores, plantadeiras, utilitários, entre outros, parcelas que mostram o potencial de desempenho de novas cultivares de soja, milho, e outras técnicas de cultivo, como estufas e integração lavoura-pecuária. Os visitantes também encontram inúmeras tecnologias desenvolvidas para tornar a agropecuária ainda mais sofisticada. São softwares e hardwares empregados para, gradualmente, conduzir os produtores rurais à era da Agricultura 4.0.

 

14 – Qual será a maior novidade da 31ª edição?

R: A maior novidade da edição de número 31, agendada para o período de 4 a 8 de fevereiro de 2019, é o Show Rural Digital. Será uma grande mostra de inovação e tecnologias que ocorrerá em um espaço de 2,8 mil metros quadrados. Além de empresas do setor, lá estarão também startups com muitas novidades para o agronegócio. Serão realizados hackathons, espécie de maratona que busca soluções para problemas do setor produtivo, nesse caso específicos da área rural, e palestras.

 

15 – Qual será o número de expositores da 31ª edição?

R: Serão 520 expositores.

 

16 – E a expectativa de comercialização?

R: Entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões. Mas devido ao momento de otimismo e de gradual retomada do crescimento econômico do País, o resultado poderá ser ainda maior.

 

17 – Quais são os impactos do Show Rural para o comércio de Cascavel e região?

R: A injeção de recursos em apenas cinco dias será de R$ 60 milhões. A média de gastos por visitante/dia é de R$ 250 e considerando a estimativa de 250 mil visitantes na 31ª edição, então o valor chega aos R$ 60 milhões. Uma cadeia importante da economia é diretamente alcançada pela vinda de pessoas do Brasil e do mundo a Cascavel e à região. São hotéis, restaurantes, bares, entre outros, que têm impacto direto com a realização do Show Rural Coopavel.

 

18 – Quantas pessoas costumam trabalhar no Show Rural Coopavel?

R: O evento não para. Termina uma edição e imediatamente começa a outra. Por cerca de oito meses, a Coopavel mantém em média 60 pessoas na área, executando inúmeras tarefas. Quanto mais perto do início do evento, maior é o número de pessoas que lá estão. De novembro a fevereiro, o crescimento de trabalhadores na área é exponencial. E o auge ocorre durante os cinco dias da mostra, quando mais de quatro mil pessoas lá estão para atender aos visitantes.

 

19 – Qual é a capacidade do estacionamento? Ele é gratuito?

R: O estacionamento colocado à disposição das pessoas que visitam o Show Rural Coopavel tem capacidade para a recepção de 14 mil veículos. Sim, o estacionamento é gratuito.

 

20 – Tem restaurantes na área?

R: Sim, há um restaurante com capacidade para servir até quatro mil refeições simultaneamente. E há também lanchonetes espalhadas pelo parque.

 

21 – Como são as ruas no interior do parque?

R: A área de 720 mil metros quadrados do parque onde o Show Rural Coopavel acontece é cortada por mais de 15 quilômetros de ruas. Todas elas são pavimentadas ou calçadas. Os trechos cobertos, para proteger do sol e da chuva, já somam sete quilômetros.

 

22 – Onde posso comprar souvenires do Show Rural Coopavel?

R: A Coopavel mantém em uma área estratégica, ao lado do restaurante, uma boutique com uma grande variedade de produtos com a marca Show Rural Coopavel. Entre outros são camisas, bonés, botas, conjuntos de facas e chimarrão. Ao lado há, também, uma central de atendimentos para prestar informações em vários idiomas.

 

23 – Há banheiros na área?

R: Sim, são 14 conjuntos de banheiros totalmente equipados e adaptados. Eles são constantemente higienizados e estão cuidadosamente distribuídos pelo parque.

 

24 – E quanto ao projeto de paisagismo. Como funciona?

R: A Coopavel mantém uma equipe na área especialmente encarregada de cuidar dos jardins que dão colorido especial ao evento. O projeto é anualmente elaborado pela agrônoma   Vânia Baratto, do Instituto Emater. São, em média, cultivadas 350 mil mudas de 15 espécies diferentes de flores.

 

25– A estrutura conta com espaços para descanso?

R: Sim, muitos. São ambientes formados por pergolados e cobertura verde, com bancos em seu interior.

 

26 – O que é feito com as toneladas de lixo que o evento gera?

R: Tudo é responsavelmente descartado, e o reciclável atende aos critérios da logística reversa. As recolhas ocorrem segundo uma escala cuidadosamente programada, e sem criar transtornos aos visitantes.

 

27 – Em 30 anos de realização, quantos visitantes o Show Rural Coopavel recebeu?

R: Nessas três décadas, o evento recebeu o total de 3,6 milhões de visitantes, o que corresponde a 11 vezes a população da cidade de Cascavel, que tem 325 mil habitantes.

 

28 – O que é destaque na área pecuária?

R: Há três anos, a Coopavel criou uma estrutura de sete pavilhões para receber a área pecuária. Ali está, entre outros, um ambiente para venda de animais que representam o melhor em genética de suas respectivas raças. O setor pecuário permite negociação direta entre criadores e pessoas em visita à feira que queiram investir para melhorar seus rebanhos.

 

29 – E quanto às áreas de suínos e aves?

R: Uma das principais preocupações sobre esses dois segmentos, além de informar e mostrar sobre sua força e importância econômica para a área de abrangência da Coopavel, é fortalecer aspectos ligados à biossegurança. A Coopavel abate, em média, 250 mil aves por dia, e de suínos são duas mil cabeças/dia.

 

30 – E para quem quer fazer negócios durante o Show Rural Coopavel, há linhas de crédito disponíveis?

R: Sim, historicamente bancos e cooperativas de crédito participam ativamente do evento. Eles oferecem aos produtores rurais inúmeras possibilidades de linhas de crédito, com taxas e prazos dos mais atrativos. Até com o uso de aplicativos é possível conseguir recursos para adquirir máquinas, equipamentos, placas de energia fotovoltaicas e até animais.

Saiba mais sobre o Show Rural Coopavel no site www.showrural.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banco do Brasil Governo Federal