Show Rural vira palco para exercícios de tropa que atuará em missões de paz

Jean Paterno

Uma movimentação diferente ocupou a área que há mais de 30 anos mostra para o mundo a pujança e a força da agropecuária brasileira. Oitocentos militares, tanques, veículos e estruturas de apoio participaram e foram empregados em exercícios na área conhecida como a casa do Show Rural Coopavel, que é realizado desde 1989 em Cascavel, no Oeste do Paraná. E tudo sob o olhar de uma comitiva internacional da ONU (Organização das Nações Unidas) que foi recepcionada pelo ministro da Defesa, Walter Braga Neto, pelo comandante geral do Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira e pelo alto comando da 15ª Brigada de Infantaria Motorizada.

Legenda: Dilvo Grolli e Rogério Rizzardi, coordenador do Show Rural, recepcionaram comando militar

Os exercícios realizados no parque do Show Rural simularam situações que são frequentes em áreas de guerras e conflitos. A preparação do Batalhão de Infantaria de Paz Mecanizado, ligado ao 33º Batalhão de Infantaria Mecanizado de Cascavel, começou em agosto do ano passado quando foram passadas instruções e atividades para o aprendizado da doutrina militar terrestre. Em janeiro começou o treinamento da tropa para o cumprimento das mais diferentes missões requeridas pela ONU. A capacitação foi feita por instrutores do Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil.

A principal característica desse contingente é a utilização do veículo anfíbio blindado Guarani. “Essa é a tropa ideal para atuações em missões de paz, porque conta com mobilidade, proteção blindada e flexibilidade”, diz o chefe das Missões de Paz, Aviação e Inspetoria Geral das Polícias Militares, general Flavio dos Santos Lajoia. “Missões de paz são complexas e exigem domínio não só de materiais e veículos, mas da habilidade do soldado em conversar, chegar perto das famílias e obter equilíbrio entre o uso da força e da diplomacia”, segundo Lajoia.

Desde 1957

As primeiras operações de paz começaram depois da 2ª Grande Guerra Mundial. Em 75 anos de atuação, elas chegam perto de cem e realizadas em diversos cantos do planeta. “O Brasil tem interesse em participar e está comprometido com as missões de paz”, pontua o ministro da Defesa Walter Braga Neto. A primeira atuação brasileira em parceria com a ONU, com essa finalidade, foi em 1957. Entre as mais marcantes estão as de 2004 e 2017 no Haiti com a participação de cerca de 37 mil militares, alguns originários de Cascavel. Atualmente, o Brasil está em sete missões simultâneas, principalmente em países africanos.

Avaliação

Para certificar que um grupo de militares está de prontidão para atuar em missões de paz ele deve ser submetido a avaliações rigorosas de desempenho e cumprimento das missões dadas. Isso ocorre por meio de oficinas, simulações e exercícios de situações de conflito empregando materiais, equipamentos e viaturas. Em áreas de conflito os militares enfrentam saques organizados por rebeldes, ataques surpresa e há sempre o risco de ações terroristas. As simulações permitem avaliar o atendimento a feridos, evacuação com helicóptero e pontos de controle com encenação de fugas.

O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, acompanhou com atenção as manobras realizadas pela corporação na área do Show Rural. “O Exército, por tudo o que faz e representa, é uma das instituições que mais orgulham os brasileiros. A nossa cooperativa fica feliz e honrada em poder, de alguma forma, contribuir com uma atividade tão importante e que levará o Exército e o nome do nosso País para missões de paz em regiões que tanto precisam de ajuda”.

Crédito: Assessoria