Tecnologias para altas produtividades de trigo chamam a atenção de produtores rurais

Por Jean Paterno

Osvanir Martins, 54 anos, é um agricultor tradicional do município de Realeza, no Sudoeste do Paraná. Ele planta trigo há 15 anos, acompanha com atenção a evolução que a cultura experimenta e se diz impressionado com os resultados. “Tive a oportunidade de visitar a edição especial de inverno do Show Rural Coopavel, nesta terça-feira, 8, e fiquei animado com o que vi”. A tecnologia, segundo Osvanir, disponibiliza aos triticultores o melhor dos mundos para produzir com produtividades elevadas e com custos cada vez menores.”Vivemos novos tempos que exigem mudanças e adaptação, por isso a edição de inverno é feita para plataformas digitais e agora, nesta semana de setembro, temos uma etapa presencial, respeitando todas as orientações do Ministério e Secretarias de Saúde para evitar riscos com a pandemia”, diz o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli. Quinze empresas participam e o número de pessoas no parque é limitado.A tecnologia transforma a cultura do trigo de uma forma ampla. “Ela mudou muito e é possível resumi-la a partir do conceito da biodiversidade, responsável pela resiliência, saúde do solo, sanidade da planta e equilíbrio que conduz a maior produtividade com custos menores”, diz o técnico agrícola Ivonei Dalla Corte. “Realmente, o que se vê aqui deixa a todos animados com as possibilidades que o trigo oferece”, afirma o agricultor Angelo Marion, 80, de Capitão Leônidas Marques.
ProdutividadeA produtividade é um dos aspectos mais relevantes das novidades mostradas na edição de inverno. São 23 variedades de trigo e pelo menos dez delas alcançam produtividade acima de seis mil quilos por hectare, diz o coordenador geral do Show Rural Coopavel, o agrônomo Rogério Rizzardi. Esse número é dos mais significativos porque representa 40% a mais em comparação aos melhores resultados já obtidos no País.”Uma das características mais interessantes é mostrar ao produtor rural aspectos da cultura realmente adaptados à realidade da qualidade em termos de exigências nacionais e internacionais à farinha da qual derivam tantos produtos. O que temos aqui compete com o que há de melhor no mundo”, ressalta Rizzardi. São variedades desenvolvidas para expressar qualidade em fertilização, manejo agronômico e clima.
O eventoA edição de inverno recebe cooperados e produtores rurais que cultivam ou que tenham interesse em cultivar trigo. Os grupos de no máximo 200 pessoas por período (manhã e tarde) são divididos em menores – de 10 a 15 pessoas – que então cumprem um roteiro pré-estabelecido por 14 estações. São dez minutos por estação com intervalo de três minutos.A coordenação do Show Rural Coopavel Edição de Inverno emprega diversos cuidados preventivos, como aferição da temperatura corporal no acesso principal às estações, pede o uso de máscara por todo o percurso e distribui álcool em gel em pontos estratégicos do parque. A divisão em pequenos grupos também é uma forma de evitar aglomeração. A edição de inverno seguirá até a tarde de sexta-feira, 11, em Cascavel, no Oeste do Paraná.
Legenda: A abertura oficial aconteceu na manhã desta terça-feira, 8 de setembro
Crédito: Assessoria

Banco do Brasil Caixa Governo Federal