Pirataria e o futuro do mercado de sementes no Brasil

Por Talita Vanso

Quinta-feira 07/02 – 14h00 – Estande AREAC  – Responsável  por um rombo próximo de R$2,5 bilhões em toda a cadeia do agronegócio brasileiro, a pirataria de sementes está na mira de instituições e órgãos que se juntam para fazer frente ao comércio ilegal de sementes em território nacional. Nesta quinta-feira (07), durante o Show Rural Coopavel, a Associação Brasileira de Produtores de Sementes- ABRASEM e a Associação Paranaense dos Produtores de Sementes e Mudas – APASEM, anunciam uma campanha nacional contra a pirataria de sementes, que tem como slogan: “Semente Pirata Espanta a Produtividade”

Durante o lançamento da campanha, será realizado um Painel com lideranças da ABRASEM, APASEM, MAPA, ADAPAR e Polícia Rodoviária Federal.

Sugestão de imagens:

Demonstrações reais de germinação de sementes legais e sementes piratas;

Plantio de semente de feijão com alta tecnologia (tempo de pesquisa e custos) – a semente é a mais visada pelos pirateiros, sendo que 90% do que é plantado no Paraná é pirata. No Brasil o número alcança os 55%

Fonte de órgãos que podem ceder números e informações técnicas.

 

Informações para imprensa

Everson Mizga 41 9 9622-5556 ou Talita Vanso 41 9 9991-5985

Banco do Brasil Governo Federal