Economia

Enca debate intercooperação e oportunidades para agronegócio

Legenda: A décima edição do Enca foi realizada em Campinas, no interior do estado de São PauloCrédito: Assessoria Mais de 500 líderes cooperativistas de todo o País participaram nesta semana, em Campinas, interior de São Paulo, de um dos maiores encontros brasileiros do setor. Em sua décima edição, o Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias, organizado pelo Grupo Conecta, debateu alguns dos mais importantes temas de interesse de um setor que responde por 25% do Produto Interno Bruto brasileiro. O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, foi um dos palestrantes convidados, falando sobre Novas oportunidades de negócios para cooperativas agropecuárias e intercooperação. Dilvo destacou a intercooperação, por meio das agroindústrias, como nova oportunidade de negócios e fortalecimento da área. Ele disse que 48% das receitas do agro paranaense são geradas por agroindustriais e que na Coopavel o índice chega a 98%. O Paraná responde por 13% da produção de grãos do País, chegando a 38,8 milhões de toneladas. Da soja, 70% passam pelas cooperativas, 62% do milho e 55% do trigo. Das proteínas, 56% dos suínos passam pelas cooperativas, 44% do frango, 35% do leite e 30% do peixe. As 225 cooperativas paranaenses têm 3,6 milhões de cooperados, 150 mil funcionários e faturaram R$ 202 bilhões em 2023. O volume de exportações se aproxima de US$ 10 bilhões por ano. O Sul responde por 64,8% do frango produzido no País (39,5% saem do Paraná). Nos suínos, o Sul responde por 73,1%, disso 20% do Paraná. O Centro-Oeste, informou Dilvo, detém 48% da produção nacional, o Sul 28%, o Sudeste e o Nordeste 9%, cada, e a região Norte 6%. O presidente da Coopavel citou que na safra atual deverão ser colhidas 297,5 milhões de toneladas e que nos últimos 34 anos o crescimento do agro nacional foi de 4,3% ao ano, contra avanço da área agrícola em 111%. Atualmente, 9% do território é destinado ao cultivo de grãos – 79,6 milhões de hectares. Dilvo falou também que o Brasil é o país que mais preserva as suas florestas e recursos naturais no mundo, chegando a 60% do seu território. As cooperativas, segundo Dilvo, promovem transformações intensas nas regiões em que atuam e, por isso, devem ser ainda mais valorizadas. "São grandes geradoras de empregos e oportunidades. Onde há cooperativa, o Índice de Desenvolvimento Humano costuma ser elevado, maior do que a média do respectivo estado e nacional", conforme o presidente da Coopavel, fundada há 53 anos e que tem 7,2 mil cooperados e 7,1 mil colaboradores. O evento Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias tem por missão contribuir para promover a excelência na gestão de negócios, aprimorar o conhecimento dos participantes e fortalecer o setor agropecuário cooperativo. Além da intercooperação, ele abriu espaço também para os seguintes assuntos: Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos; Inovação e Sustentabilidade; Gestão Climática e Expectativas Econômicas e Políticas.

Otimização de processos é desafio à indústria de aves e suínos no Brasil

Legenda: O evento foi realizado no auditório da Coopavel, no parque do Show Rural Crédito: Assessoria Cerca de 150 profissionais, pesquisadores e especialistas de sete estados brasileiros participaram no auditório do Show Rural Coopavel, em Cascavel, na quarta e quinta-feira, do Simpósio de Otimização do Abate e Processamento de Aves e Suínos, organizado pela Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia Avícolas. A abertura oficial da programação foi feita pela diretora de Projetos Especiais da Facta, Eva Hunka. Eva lembrou que a indústria de aves e suínos é um pilar fundamental da economia agropecuária brasileira, contribuindo para o abastecimento alimentar, a geração de empregos e o desenvolvimento tecnológico. Mas para que o País siga crescendo na área, de maneira sustentável, deve-se buscar a otimização dos processos de abate e processamento. O apontamento feito por Eva Hunka foi aprofundado em painéis e oficinas nos dois dias de evento. Do Brasil ao mundo O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, fez a palestra de abertura do Simpósio e destacou o papel estratégico e essencial do Brasil como um dos grandes provedores de alimentos sustentáveis para o mundo. A previsão que deve se confirmar em alguns anos é de o País se consolidar como o maior exportador de grãos e proteínas do planeta. Atualmente, o Brasil já atende as necessidades alimentares de um bilhão de pessoas e esse número deverá crescer ainda mais. A safra atual deverá colher entre 297,5 milhões de toneladas, mas em dez anos o Brasil deverá alcançar as 400 milhões anuais, fazendo do país “o maior supermercado do mundo”, como o governador do Paraná, Ratinho Júnior, tem afirmado em eventos dedicados ao agronegócio. Dilvo apresentou números que mostram o bom posicionamento do Paraná na produção de proteínas, principalmente de frangos e suínos, e do País como referência verde ao planeta. Eva Hunka destacou que o objetivo da Facta ao promover esse Simpósio foi proporcionar um ambiente de aprendizado e troca de experiências, no qual cada participante pudesse adquirir novos conhecimentos e insights capazes ser aplicados em suas respectivas áreas de atuação. A diretora de Projetos Especiais da Fundação também agradeceu aos patrocinadores (Ceva e Phibro), ao apoio da Coopavel, e da Comissão Organizadora, moderadores, corpo técnico, mantenedores e equipe da Facta. O evento contou com a participação de veterinários, agrônomos, zootecnistas, técnicos agrícolas, produtores rurais, empresários e executivos do segmento de aves e suínos, bem como professores, pesquisadores da área e outros profissionais. Os participantes são de cidades do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

Coopavel envia quarta carreta com donativos as vítimas de inundações

Legenda: Água, roupas e agasalhos e materiais de limpeza integram a quarta carga enviada pela cooperativa Um caminhão da Coopavel com mais de 12 toneladas de donativos seguiu neste início de semana em direção ao Rio Grande do Sul. Na carga estão alimentos, roupas, agasalhos, água e materiais de limpeza doados por funcionários e cooperados que entendem o valor da solidariedade principalmente em um momento tão difícil para famílias de mais de 380 municípios gaúchos. “O maior desastre natural da história do Rio Grande do Sul deixa marcas profundas no povo desse estado que historicamente tanto contribui para o desenvolvimento do Brasil. Mas com a união e o espírito gentil dos brasileiros, tenho certeza que o processo de recuperação desse grande estado vai surpreender a todos. A garra do povo gaúcho merece respeito e admiração”, pontua o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli. “Agradeço a todos que, de uma forma ou outra, participaram dessa campanha de arrecadação que envolveu tantas pessoas”. A ação Cooperando pelo Rio Grande do Sul foi realizada por um mês e integrou unidades e filiais da Coopavel no Oeste e Sudoeste do Paraná. Cinquenta pontos de coleta foram estrategicamente distribuídos. “Estamos felizes e animados com o volume de itens conseguidos. Mais do que estender a mão a quem perdeu tudo e precisa muito de ajuda nesse momento, estamos enviando e compartilhando amor”, diz a coordenadora de Gente e Gestão, Claudia da Rocha. “A Coopavel tem a generosidade como uma das marcas fortes dos seus 53 anos de história. Estamos torcendo para que os gaúchos se recuperem logo”, complementa o gerente de Recursos Humanos, Aguinel Waclawovksy. Donativos Colaboradores dos mais diferentes setores participaram de um mutirão nesta segunda-feira para preparar o caminhão que seguiu ao interior do Rio Grande do Sul. “Vi a satisfação no rosto de cada um em poder doar e ajudar com a campanha. As pessoas são incríveis quando se unem por causas nobres e importantes como essa. Essa é uma lição de empatia, de resiliência e de compaixão”, diz o gerente da Coopclean, Altair Garcia. Além de alimentos e água, mais de 15 mil litros de produtos de higiene e limpeza, fabricados por essa indústria da Coopavel, foram enviados às famílias castigadas pelas inundações. Outros três caminhões da cooperativa seguiram dias atrás para Encantado e Canoas. Duas cargas de feno para alimentar animais foram conseguidas com produtores rurais da região, e gratuitamente transportadas pela cooperativa. A terceira foi exclusivamente carregada com detergentes, saneantes, desinfetantes e outros produtos de higiene e limpeza doados pela Coopavel. Legenda: Caminhão em preparação para viagem ao Rio Grande do Sul Legenda: Funcionários de vários setores participaram de mutirão para carregar donativos Crédito: Assessoria

Coopavel envia na segunda mais uma carga com donativos a desabrigados

Legenda: Parte da equipe de organização da campanha de arrecadação com itens doados Crédito: Assessoria A Coopavel vai enviar na tarde de segunda-feira, 10, mais uma carga de donativos aos desabrigados do maior desastre natural da história do Rio Grande do Sul. A quarta carreta da cooperativa com doações levará alimentos, agasalhos, calçados e produtos de higiene e limpeza. Doze mil itens foram arrecadados até agora nessa etapa mais recente da ação. A campanha Cooperando pelo Rio Grande do Sul mobiliza unidades industriais e filiais distribuídas por 24 municípios das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná. Caixas coletoras foram instaladas nos mais diferentes ambientes e a resposta de funcionários, parceiros e cooperados tem sido bastante intensa. Dias atrás, a cooperativa enviou três carretas com materiais destinados aos desabrigados das cheias no Rio Grande do Sul. Duas delas, conseguidas com produtores rurais e entidades, foram de feno, encaminhadas para Encantado, e outra de produtos da Coopclean, para a região de Canoas. “Quero agradecer a colaboração de todos que se uniram à Coopavel nessa corrente de união. Toda ajuda, por mais singela que possa ser, tem enorme valor para quem perdeu tudo e que, mesmo em um período de tantos desafios, precisa recomeçar. O gesto dos nossos funcionários, associados e parceiros, repetido em praticamente todo o Brasil por pessoas das mais diferentes condições sociais, é uma clara demonstração do quanto o nosso povo é gentil e solidário”, destaca o presidente Dilvo Grolli. Itens Os 12 mil itens conseguidos até agora e que serão enviados na segunda-feira, 10, são distribuídos nos seguintes grupos: água potável, alimentos, peças de roupas, cobertores, calçados, brinquedos e produtos de higiene e limpeza. “Estamos com 50 pontos de arrecadação e animados com a expectativa de conseguir ainda mais”, observa o gerente de recursos humanos Aguinel Waclawovsky. A Coopavel se aliou também à Ihara numa ação que, em troca de água e alimentos, entrega kits de equipamentos de proteção individual aos cooperados e produtores rurais.

Mais Notícias